Você sabe do perigo que o carvão ativado causa nos seus dentes?

Você sabe do perigo que o carvão ativado causa nos seus dentes?

 

Apesar de ser bastante utilizado para o clareamento dental, a ação do carvão ativado nos dentes ainda é um mistério tanto para leigos quanto para profissionais.

 

Principalmente por razões estéticas, acabamos escolhendo o carvão ativado antes mesmo de agendar uma consulta odontológica.

 

De início, parece algo inofensivo, mas os prejuízos podem ser irreversíveis.

 

Um dos fatores que contribuiu para a popularização da prática foi o fato de que muitas celebridades já fizeram algum procedimento de clareamento dental por questões estéticas.

 

O problema é que, ao nos espelharmos em famosos, nem sempre consultamos um profissional e, ao escolhermos uma opção mais barata, o risco de os custos futuros serem maiores do que o esperado é grande.

 

Nas redes sociais, podemos encontrar inúmeras receitas caseiras que incluem o produto, indicado por ser natural.

 

Sabendo disso, é fácil entender porque tanta gente insiste em usar a técnica para clarear os dentes em casa. Além do clareamento, aparentemente estão gastando menos tempo e dinheiro.

 

Mas será que deveríamos arriscar o nosso sorriso? Ainda mais sem conhecermos os efeitos reais do carvão?

 

Vamos conferir!

 

Não deixe de ler o nosso último artigo sobre as causas do câncer de boca e como tratar a doença

 

O mito por trás do carvão ativado

 

Você sabe do perigo que o carvão ativado causa nos seus dentes?

Cada vez mais, queremos ter sorrisos mais brancos e bonitos, iguais os que vemos na mídia.

 

Motivados pelo ideal de beleza que desejamos alcançar, nem sempre adotamos práticas racionais.

 

O carvão ativado nada mais é do que um composto de carbono com porosidade desenvolvida, o que permite a coleta de gases, líquidos ou impurezas.

 

Suas características explicam seu poder de clarificar, desodorizar e purificar líquidos ou gases.

 

Até algumas décadas atrás, era comum que materiais abrasivos fossem usados nos dentes para deixá-los mais brancos.

 

Mas isso não quer dizer que estavam mais limpos ou que sua saúde bucal na época era melhor.

 

Na verdade, os indícios é de que os hábitos passados eram piores.

 

Podemos perceber as mudanças através do nosso dia a dia. Há 20 anos atrás, o mundo era completamente diferente.

 

Por algum motivo, o carvão voltou a ser recomendado para o clareamento — geralmente por leigos.

 

Utilizado em intoxicações e para eliminar a oleosidade, as indicações de como usá-lo como solução para o clareamento dental logo surgiram.

 

Basta pesquisarmos no Google para encontrarmos postagens das mais variadas explicando como fazer o uso do material.

 

A recomendação, porém, contraria o que dizem os profissionais da área.

 

Leia também tártaro nos dentes: o que é e como tratar o problema?

 

A verdadeira ação do carvão nos dentes

 

Você realmente sabe como o carvão ativado age nos seus dentes

O carvão ativado auxilia no clareamento dental por sua capacidade abrasiva.

 

E qual o problema disso?

 

A cor dos dentes não é alterada por estarem mais limpos, mas apenas após um desgaste das partículas aderidas ao esmalte.

 

Ao contrário da limpeza, o desgaste é irreversível e o esmalte não pode ser recuperado.

 

 

O mesmo não ocorreria caso o tratamento fosse feito com um profissional, pois os produtos passam por testes rigorosos e conseguem alterar a cor do dente sem causar danos ao paciente.

 

A ausência de estudos sobre os efeitos reais da prática

 

A popularidade do carvão ativado para o clareamento dental é praticamente nula no meio acadêmico.

 

Por que? Basicamente, não existem pesquisas a respeito. Isso mesmo. Até hoje, nenhum pesquisador da saúde produziu material consistente sobre o tema.

 

Em um estudo de 2013 intitulado “A cultura do sorriso branco e dos dentes saudáveis”. Regina Sanseverino menciona que a prática de utilizar componentes abrasivos para a limpeza dental era comum até o século XX.

 

Entretanto, a autora não reconhece a técnica como atual e, portanto, não há um aprofundamento maior.

 

E é a carência de uma investigação séria sobre o assunto que aumenta o receio dos profissionais em relação à recomendação do uso do carvão ativo.

 

Já sabe como escolher a melhor escova de dente?

 

A opinião dos especialistas

 

Justamente por não existirem estudos em relação aos efeitos, a grande maioria dos especialistas opta por não recomendar a utilização do carvão ativo.

 

Ainda em 2017, a publicação Journal of American Dental Association alegou que não havia nenhuma evidência da eficácia de produtos odontológicos que possuem o carvão ativado em sua composição.

 

O presidente da Câmara Técnica de Dentística do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo, Mario Giorgi, garante que nenhum teste ou protocolo de literatura específica orientam o uso.

 

 

Ela alega que a ausência de comprovação científica sobre os benefícios e a prova dos malefícios é o suficiente para que ela não recomende o produto.

 

A Associação Brasileira de Odontologia, por sua vez, repudia o uso do carvão para o clareamento dental e assegura que receitas caseiras não têm a capacidade de clarear os dentes.

 

O Conselho Regional de Odontologia de Pernambuco alerta: consulte um dentista de confiança antes de investir em um tratamento empírico, pois o mesmo pode ser maléfico.

 

Substitutos mais seguros para o clareamento dental

Você sabe do perigo que o carvão ativado causa nos seus dentes?

Quando perguntados, os odontólogos frequentemente apontam o clareamento dental como um dos procedimentos estéticos mais procurados em seus consultórios.

 

É raro, se não impossível, que algum deles recomende o uso do carvão ativado.

 

Ao optarmos por realizar um clareamento dental, é importante ter certeza de que os métodos são seguros e eficazes.

 

O gel clareador, fabricado a partir do peróxido de hidrogênio ou de carbamida, ativa um processo químico quando entra em contato com os dentes.

 

Ao liberar oxigênio, as partículas de pigmento que deixam o dente amarelado são quebradas. 

 

Depois disso, nosso sorriso passa a refletir mais luz e sua aparência fica mais clara. A diferença é que o gel mantém a saúde dentária enquanto o carvão ativado traz danos.

 

É possível sim clarear os dentes em casa.

 

Mas existem produtos desenvolvidos especialmente para esse fim e é seu dentista que vai poder indicar o ideal para você.

 

Em média, o processo dura em torno de 14 dias (cerca de duas semanas) e o próprio paciente é responsável pela aplicação do produto em uma moldeira adaptável aos seus dentes.

 

Quem vai orientar e supervisionar o tratamento? O cirurgião-dentista, que vai fornecer os materiais e marcar visitas periódicas. 

 

Quando realizado no consultório, o procedimento é mais rápido, pois é aplicado um laser sobre o agente químico do clareador.

 

Gostou do texto? Ficou com alguma dúvida? Não deixe de comentar e nos dizer o que achou!

 

Acesse o www.redeodonto.com.br e saiba mais. Ah! não deixe de nos seguir também em nossas redes sociais.

 

Dra. Clara

 

Posts Relacionados

Cárie dental: 10 curiosidades que você precisa sab... 10 curiosidades sobre a cárie dental que vão te deixar com a boca aberta. Uma das doenças mais comuns entre os brasileiros, e uma das mais temidas....
8 especialidades odontológicas que a Rede Odonto t...   Confira quais são as 8 especialidades da odontologia mais procuradas e encontre todas aqui, na Rede Odonto.   Há mais de 20 anos a Re...
Quais são e como evitar problemas dentários associ...   A diabetes é uma doença que afeta a capacidade do seu corpo de processar o açúcar. Ao ingerir alimentos ricos em carboidratos, são transform...
Afinal o tratamento de canal pode deixar meus dent... Ter que fazer um tratamento de canal é algo que preocupa (e até assusta) muitas pessoas.   Isso porque o tratamento tem fama de ser dolorid...

Deixe uma resposta